Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

Novembro 2018
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
 
2
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
18
19
20
22
23
26
27
28
29
30
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Home  > Noticias > "Ilhas Santuário" planta plantas endémicas no Ilhéu de Vila Franca do Campo
imprimir
Notícias


"Ilhas Santuário" planta plantas endémicas no Ilhéu de Vila Franca do Campo


O projecto ‘Ilhas Santuário para as Aves Marinhas’, está a ser coordenado pela SPEA em parceria com a Secretaria Regional de Ambiente e do Mar, e desde 2009 que tem vindo a recolher sementes de plantas nativas dos Açores e produzido as respectivas plantas em viveiro. Actualmente, já com plantas de dimensão adequada, as primeiras foram plantadas no Ilhéu de Vila Franca do Campo. Mil e oitocentas urzes e duas mil e trezentas faias foram plantadas nas zonas do ilhéu de onde tinha sido removida a vegetação exótica infestante. Foram ainda espalhadas grandes quantidades de sementes recolhidas este ano para promover uma mais rápida recuperação das áreas intervencionadas. A equipa continuará a acompanhar a evolução destas novas plantas com monitorizações regulares da vegetação.

Este é o primeiro passo de uma acção de recuperação dos habitats naturais do ilhéu que pretende diminuir a erosão das zonas altas e melhorar o habitat para a nidificação de aves marinhas. Nesta altura do ano, os Cagarros juvenis preparam-se para sair dos ninhos e os técnicos da SPEA visitaram as áreas de nidificação no Ilhéu de Vila Franca do Campo para avaliar como decorreu esta época de reprodução. Durante esta avaliação, foi possível confirmar o bom estado dos novos ninhos, que foram ocupados em zonas que anteriormente se encontravam infestadas por canas.

O Director Regional dos Assuntos do Mar, Frederico Cardigos, considera que “estas são experiências muito importantes e cujos resultados poderão, em breve, ser massificados para as zonas costeiras dos Açores, nomeadamente no Corvo, outra das áreas prioritárias do projecto. No caso do ilhéu de Vila Franca, é essencial entender e maximizar as suas diferentes valências e, de facto, por causa das plantas invasoras, a componente ambiental não estava bem tratada”.
"Os trabalhos com aves marinhas, que são aves de vida longa, podendo chegar a viver mais de 40 anos, demoram muitas vezes a mostrar resultados. O mesmo se passa com as plantas endémicas, que são geralmente de crescimento mais lento, e tornam a recuperação de áreas com esta vegetação operações naturalmente demoradas. É assim com grande satisfação que podemos começar a constatar a melhoria dos valores naturais do Ilhéu” refere ainda Pedro Geraldes, coordenador do projecto.

Para além da SPEA e da SRAM, o projecto conta ainda com a parceria, da Royal Society for the Protection of Birds e dos municípios de Corvo e Vila Franca do Campo, e pretende a recuperação do habitat de nidificação de aves marinhas e a gestão das populações de aves marinhas – um dos valores naturais mais importantes e representativos dos Açores. O ilhéu de Vila Franca é uma das áreas principais de intervenção deste projecto financiado pelo Programa LIFE+ da Comissão Europeia e conta também com o apoio do Clube Naval de Vila Franca do Campo.

Comunicado de Imprensa

Foto: Ilhéu de Vila franca - São Miguel, Açores © Joaquim Teodósio
 

Notícias relacionadas:
    •  Dacia Renault apoia projeto Life Rupis


voltar


Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com